The Price of Freedom

Sessão 02 - Esconderijo dos Escravistas

Após se recuperarem do conflito com a Planta Suga-Sangue e o Lagarto Psiônico, o grupo estudou o mapa e percebeu que poderiam fazer dois caminhos até o local indicado. Um deles, mais longo porém mais fácil de seguir (percorria o leito de um rio muito antigo, agora seco, e por um deserto plano), e outro mais curto e rápido, porém através de colinas e terreno muito acidentado.

Após avaliarem as possibilidades, por unanimidade, seguiram o caminho mais rápido pelas colinas. O grupo sentia que tinha pouco tempo para agir e precisavam ser rápidos. Guiados Arbitria e Abaddon, seguiram o caminho até que, ao longe, parte do grupo observou uma dupla se aproximar perto da antiga estrada que partia de Tyr, composta por um meio-gigante e uma halfling. O grupo rapidamente se escondeu tentando evitar um possível confronto, com aquela dupla.

Contudo Eben não percebeu o que ocorria a seu redor e revelou sua posição dando início a uma discussão sobre o que cada grupo estava fazendo ali. A dupla percebendo a presença do guerreiro rapidamente sacou suas armas e aguardou o embate, Ironfist repetiu o ato, preparando sua defesa enquanto começa uma discussão.

“Quem são vocês? O que querem? Vocês são escravistas? Onde está o seu grupo, você está sozinho?” – disse o meio-gigante. Então, sua amiga halfling respondeu ao meio-gigante enquanto segurava uma lança com ponta de obsidian:

“Calma, nós só precisamos saber se eles trabalham com Szur, talvez eles possam ser úteis.”

Eben, então respondeu: “Somos meros transeuntes, seguindo naquela direção” enquanto parte do grupo começava a desviar o caminho, mas a dupla percebeu e ficou ainda mais apreensiva, porque a sensação que tinham era de estarem sendo cercados.

Após muita discussão, a halfling guardou sua arma e os dois grupos passaram a seguir a mesma direção, pois buscavam o mesmo objetivo: Os escravistas liderados por Szur e Donaron. Caminharam e escalaram, e ao final do dia sentiram o calor do Sol Negro em suas costas, sem confiarem um nos outros. Chegaram, enfim, no que aparentou ser um templo antigo de acordo com o mapa de Volkur.

Lá avaliaram qual seria a melhor estratégia enquanto Abbadon e a halfling, chamada Errich, espiavam as redondezas e avaliavam as forças inimigas. No entanto, Abbadon foi descoberto e iniciou-se uma batalha com o berro de Eben: “Atacar!”

A batalha foi feroz, os escravistas começaram infligindo graves ferimentos no grupo, quase levando os aventureiros à morte, pois o maior número de inimigos e de arqueiros era uma vantagem muito forte. Porém, aos poucos o grupo (agora com dois novos membros) reverteu essa vantagem, com uma amostra terrível de força primal e habilidades psiônicas, as quais fizeram o chão tremer e a realidade se contorcer. No final, dois inimigos conseguiram fugir e alertar o resto de seus comparsas.

O Grupo então seguiu no percalço de seus adversários. Adentaram a ruína e encontraram um aposento amplo com pilares em ambos os lados. Nos pilares aviam lâminas de pedra como armadilhas, mas após alguns minutos estudando o funcionamento dessas, o grupo conseguiu seguiro caminho por um das três passagens no aposento. Após poucos metros o grupo se viu em um pequeno aposento com paredes cheias de rachaduras, possuindo quatro pilares. Seguiram novamente o som dos barulhos de inimigos ao longe até que quase caíram em uma armadilha de poço.

A sessão terminou neste ponto, onde o grupo, unido pelas circunstâncias depende um do outro para alcançarem seus objetivos e sobreviverem no deserto impiedoso de Athas. Será que conseguirão?

Comments

dsn

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.